Quando surge o alviverde imponente

Publicado  sábado, 20 de outubro de 2012

Nunca me convenci em ver o Palmeiras rebaixado em 2013. A campanha era ruim, o clima pior e não dava pra bater palma pela atitude covarde de Arnaldo Tirone em demitir Felipão, campeão da Copa do Brasil. Mas me parecia muito estranho ver o alviderde rebaixado esse ano.

Desenganado por cinco a cada quatro comentaristas esportivos, o Verdão resssuscitou. Especialmente graças às mudanças táticas que Gilson Kleina trouxe além de uma boa dose de motivação. Não dá para ignorar como Barcos, alvo favorito dos lançamentos de Marcos Assunção, ajudou também. É um time limitado muito além do aceitável, mas difícil de ser batido nos dias de hoje.

Em todas as projeções que fiz, o Palmeiras (assim como o Flamengo) não cai. Para a matemática casar com a realidade é indispensável que o palmeirense não se engane: será difícil. Mas times grandes nunca diminuem enquanto os pequenos jamais crescem. Pela frente, o clube paulista tem Bahia, Sport e Ponte Preta, minúsculos diante de sua expressão. Vai dar Porco.

0 comentários: