A derrota de Patrícia

Publicado  segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Tentando seu quarto mandato para manter doze anos de presença na câmara, a presidente do Flamengo fracassou. Retrato do seu desgaste com uma gestão descompromissada com 40 milhões de torcedores e interessada apenas em um projeto pessoal e político mesquinho.

Patrícia Amorim assumiu o Flamengo em 2010 campeão brasileiro e na melhor fase em décadas. Entregará um clube com duas campanhas medíocres e apenas uma aceitável, com dívidas que ainda não sabemos o tamanho. Como a com o meia-atacante Ronaldinho.

Todas as alas políticas lhe estenderam a mão e ela teve a chance de unir o clube várias vezes. Na primeira, jogou fora o Clube dos 13 e fez o futebol brasileiro retroceder em anos ao trabalhar contra a eleição de Kléber Leite como presidente da organização, enfraquecendo politicamente o rubro-negro e entregando o poder da CBF a dirigentes ligados ao futebol paulista. De quebra, desagradou cada corrente política rubro-negra que não pudesse chamar de sua.

Em três anos, Patrícia chamou o Flamengo de seu. Sonsa, ignorou o beabá para fazer de um clube competitivo e tomou cada decisão para apagar incêndios e se manter no futebol. Já no primeiro ano, usou e descartou Zico, Vanderlei Luxemburgo, Marco Braz, Andrade e este ano fez o mesmo com Adriano, que não deve ter vida longa na Gávea depois de outubro.

Nessas eleições, chamou Vágner Love para fazer o coraçãozinho, convocou atletas do clube para pedirem voto para si e chegou ao cúmulo de retwitar até mesmo elogio de torcedores do... Fluminense. Dá para ver que seus erros no futebol não são azar, mas um traço do perfil de colaboradores que escolhe.

Na manhã do dia 7 de outubro, atletas rubro-negros como César Cielo e Adryan manifestaram no twitter voto e apoio à então vereadora. Difícil pensar que foram ações espontâneas. Mais fácil crer em mais gente usada pelo sorriso simpático da presidente. Um dia a conta chega.

Mesmo com todo esse carisma, máquina e pessoas de bem apoiando, Patrícia sofreu a primeira derrota vigorosa esse ano. Vale pensar o que vai levar mais tempo: ela se recuperar desse baque ou perceber que esta deve ser apenas a primeira perda do ano. 2012 ainda não acabou, vereadora, ou melhor, presidente.

7 comentários: