Adryan resolveu. E agora?

Publicado  segunda-feira, 17 de setembro de 2012


A cobrança de falta precisa inevitavelmente é comparada às de Zico. O salário ainda não é de estrela e no jogo os que recebem esses valores mais falharam do que trouxeram a solução. Cara de criança que constrasta com a de velhos conhecidos que já não rendem mais o mesmo com a camisa rubro-negra. O menino fez o que os homens não fazem.

Adryan entrou no segundo tempo para resolver um meio de campo em que Ibson (com atuação regular, mas de muita determinação) e Léo Moura (em atuação ainda mais patética do que as que teve em tempos recentes na lateral) não conseguiram resolver. O camisa 2 ainda se omitiu dos lances e buscou sempre o passe fácil (errando a maioria), mas conseguiu um lançamento preciso quando jogou de volante.

O passe então era para o jovem Nixon, que não tem um jogo como titular nos profissionais do Flamengo. Ainda assim demonstrou mais do que o veterano Liédson, contratação inexplicável de Zinho pelo evidente declínio físico que atravessa desde a sua saída do Corinthians. Vale lembrar também da lentidão do chileno Gonzales, facilmente ultrapassado por veteranos como Elano e Zé Roberto.

Liédson, Ibson, Léo Moura e Gonzales. É quase meio time que não segura a barra para ajudar as jovens revelações rubro-negras em uma campanha bem difícil. O capitão chegou a negociar com outro técnico, antes da saída de Luxemburgo, mas não consegue assumir suas responsabilidades de jogador e referência.

E agora, Flamengo, Em quem apostar? No futuro que resolve ou no passado que já resolveu e apenas engana?

1 comentários: