Cinco coisas que o título da Libertadores faz justiça

Publicado  quinta-feira, 5 de julho de 2012



Muita coisa ainda vai se falar de um título histórico que a torcida corintiana esperava há anos. Mas nesse momento há cinco que importam mais:

5- Andrés Sanchez: o ex-presidente corintiano pode não ser um exemplo de honestidade, idoneidade ou fazer bem para o futebol brasileiro. É provável também que tenha feito muito mal ao Corinthians, mas também elevou o padrão de qualidade do clube em vários setores: marketing, futebol etc.


4- Emerson: o atacante corintiano saiu pela porta dos fundos de quase todos os seus clubes (inclusive do exterior), mas deixou saudades em todos. Não era uma unanimidade até hoje, mas com dois gols na  Libertadores tem uma chance boa de se tornar.

3- Torcida Corintiana: Talvez a segunda maior torcida do Brasil seja a que tinha mais motivos de espernear e ter pouca paciência com a competição, mas desde 2010 demonstram o contrário. Naquele aplauso após uma eliminação em pleno centenário, os corintianos demonstraram que estavam só começando. O apoio valeu a pena.

2- Libertadores: A competição já esteve na mão de timecos como LDU e Once Caldas, mas hoje é de um time que não sabe o que é perder nela. Se fosse uma mulher, estaria bem feliz nos braços corintianos.

1- Tite: É inevitável não falar da importância do comandante corintiano. Sem estrelas,o técnico soube armar um esquema sólido com as mudanças necessárias a cada adversário. Mais do que isso: Tite não aceitou Adriano, se recusou a dar vaga cativa a Liédson, Danilo, Douglas ou Alex e deixou de prometer títulos para entregar muito trabalho. A Libertadores é consequência.





0 comentários: