Aprendendo com derrota, Itália será mais forte

Publicado  domingo, 1 de julho de 2012

No futebol, você evolui com a continuidade: aperfeiçoando os acertos e corrigindo os erros. Não é coincidência que a maioria dos times vencedores aposte na base de jogadores e em um mesmo comandante. A Itália precisa ter isso em mente ao final desta Eurocopa.

A França, por exemplo, cometeu um erro ao perder o técnico Laurent Blanc, após ótimo trabalho em pegar uma seleção desastrosa na última Copa do Mundo, mas que se despediu diante da campeã nesta competição. A Azurra tem a chance de manter o ótimo Cesare Prandelli e seguir aperfeiçoando a seleção italiana em busca de um grande 2014. Só é indispensável entender a sua dose de erros.

Desde 2010, a Itália sabe que a alta média de sua idade é um problema. Embora haja melhora, não resolveu seu problema com um time mezzo jovem, mezzo velho. Ainda que não se possa prescindir da categoria de um craque como Pirlo, antes da final o melhor jogador da Eurocopa, não dá para reclamar de azar na contusão do atacante Cassano e do volanteThiago Motta. Ambos terão mais de 30 anos na próxima Copa do Mundo. Como acreditar que após uma desgastante temporada européia em seus clubes, vão render o seu máximo por toda uma competição?

O que a Itália precisa é que Prandelli siga acertando sua equipe, que chegou a fazer o jogo mais disputado contra a Espanha mas perdeu quando a Fúria resolveu jogar tudo o que pode, e encontrar uma nova geração de nomes como Mário Balotelli, cada vez mais ídolo. A Azurra se reencontrou nesta Eurocopa, que não se perca de novo. 

0 comentários: