Eleição 2012 no Flamengo põe desapego de ex-presidentes à prova

Publicado  quinta-feira, 14 de junho de 2012

Flavio Godinho, executivo da MPX; Rodolfo Landim, ex-executivo da BR Distribuidora e OGX; Luiz Eduardo Baptista, presidente da Sky; e Carlos Geraldo Langoni, ex-presidente do Banco Central do Brasil concordaram na última semana em participar de um conselho que projete parâmetros básicos para modernizar a gestão do gigante adormecido Flamengo.

O convite só surgiu porque ex-presidentes como Márcio Braga (foto) e Kléber Leite deram a abertura necessária, inclusive com espaço para que os excecutivos flamenguistas falassem. É muito em relação à história recente do clube, mas ainda é pouco. Mais gente com o mesmo perfil - profissionais de sucesso em suas respectivas áreas e sem nenhum interesse senão o crescimento do Flamengo - tem o interesse em se mobilizar para impedir que a gestão Patrícia siga mais três anos em compromisso com o atraso.

Mas esse tipo de gente dificilmente vai aceitar fazer parte de gestões que tem sua parcela de responsabilidade pelo eterno sono rubro-negro, marca esportiva com maior potencial e desperdício no Brasil há décadas. Se caciques e índios da tribo rubro-negra querem uma gestão mais comprometida com o profissionalismo, só o desapego por cargos e vantagens pessoais vai conseguir concretizar esse sonho. É informação e não opinião: é possível ainda esse ano ver uma chapa com muita gente boa como essa.

Márcio Braga talvez tenha sido um dos maiores dirigentes da era amadora do esporte enquanto Kléber Leite foi responsável pela maior contratação do futebol brasileiro, ao tirar Romário do Barcelona em 95. Os dois também colecionam fracassos e erros indesculpáveis, que hoje servem para a gestão Patrícia se posicionar como a "menos pior" ao invés de a melhor. Ambos podem abrir espaço para uma nova era no clube. Basta que os dois e todos os demais conselheiros e ex-dirigentes abram mão de suas vaidades para apoiar novas idéias e a reafirmação do Flamengo como um clube sério.

Caso contrário, a vitória de Patrícia seguirá provável.

1 comentários: