O direito de Herrera

Publicado  domingo, 20 de maio de 2012

Você fez três gols e conquista a honra de escolher a sua música favorita na noite do programa de maior audiência da TV Brasileira. Seu clube vai ganhar em exposição, sua carreira vai ter uma noite inesquecível e você entra para um grupo seleto de jogadores em 2012. Quem recusaria? Herrera recusou.

O argentino do Botafogo tem uma pá de defeitos fartamente explorado nas gozações entre torcedores e até mesmo do novo jornalismo-entretenimento esportivo. O Quase-Gol tem lá sua culpa, mas também tem seu direito em querer que tratem seus erros com críticas e não piadas. Assim como todos os programas esportivos podem lidar com sua falta de habilidade seguindo sua própria linha editorial.

Vale lembrar que além do atacante, o centroavante Barcos, do Palmeiras, já teve problemas com quadros que misturam brincadeiras e jornalismo. Loco Abreu do mesmo Botafogo, já se recusou a vestir a camisa do Inacreditável Futebol Clube em uma postura semelhante ao hermetismo herrético.. Talvez os sul-americanos possam ser menos sisudos ou, quem sabe, nós devemos aprender algo mais sobrecomo encarar o futebol.O que você acha?

Perde o alvinegro em exposição, Herrera recusa uma participação que existe para lhe exaltar. E o argentino sabe que isso não vai lhe poupar de novas brincadeiras. Talvez pelo contrário. E daí? É o seu direito abrir mão. E deixar que seus três gols fiquem sem música, na trilha sonora que cada torcedor escolher.

4 comentários: