As chances do futebol carioca no Brasileiro 2012

Publicado  segunda-feira, 14 de maio de 2012

Ano passado, acertei mais do que errei. Não banquei que o título brasileiro ficaria no Rio de Janeiro, mas falei do sonho do futebol carioca recriar a hegemonia que vimos em alguns momentos dos anos 80. Houve um momento em que tivemos os quatro grandes brigando pela taça, mas no fim apenas três seguiram fortes e o tricolor carioca chegou bem perto da última rodada com chances, mas a derrota para o América-MG pegou.

Este ano, sou mais pessimista. A força política e esportiva da Federação Paulista e com apenas um clube confiável ao invés de três, a tendência é o Rio de Janeiro ter mais dificuldades. O futebol gaúcho e o Atlético-MG despontam como obstáculos para tornar tudo mais difícil embora o péssimo momento de Cruzeiro e Palmeiras ajudem. Vamos à análise:

Flamengo
Técnico: Joel Santana
Time-base: Felipe , Léo Moura, Gonzalez, Welinton e Magal, Airton, Renato Abreu, Kleberson (Luiz Antônio) & Bottinelli (Ibson), Ronaldinho & Vagner Love 

Principais reservas: Deivid, Diego Maurício, Muralha, Negueba e Rômulo
Quem pode chegar: Ibson e Cáceres

Quem pode sair: Junior César, David e Galhardo
Retrospecto em 2012 (até 14/05/12): Brigou por todos os títulos que pôde em 2011, faturou um e se classificou para a Libertadores. Uma campanha digna. O contrário do que podemos falar do que houve no primeiro semestre deste ano.
Pontos fortes: A finalização e arrancadas de Love e os lampejos de Ronaldinho.
Pontos fracos: Elenco dividido e desequilibrado. Ainda que seja muito superior individualmente a outros, o Flamengo possui menos opções regulares para cada posição do que times como Botafogo e Atlético-MG, por exemplo.
Vai lutar por: Classificação para a Sul-Americana
Análise:  O torcedor não costuma aceitar qualquer hipótese que não seja a luta pelo título, mas a real é que Patrícia Amorim jogou essa chance fora não só ao demitir Vanderlei Luxemburgo e ao dar poder demais aos jogadores, mas também por jogar fora quase um mês de preparação após a eliminação para o Vasco. Com tudo isso, é improvável que o Flamengo comece o turno com força, como foi no ano passado.

No Rio de Janeiro, atrás até do Botafogo, se considerarmos a equação elenco + infraestrutura (salários em dia, planejamento, CT e estádio) + ambiente interno, o rubro-negro tem muitos problemas a superar. Se conseguir resolver o atraso de salários (e isso inclui premiações) pode ser que o cenário mude. Do contrário, um Joel em seu pior trabalho no clube e um elenco com vários conflitos são um prenúncio de tempos difíceis.

Fluminense
Técnico: Abel Braga
Time-base: Cavalieri, Bruno, Leandro Euzébio e Gum, Carlinhos, Edinho e Jean, Deco & Thiago Neves, Fred e Wellington Nem
Principais reservas: Rafael Moura, Diguinho, Lanzini e Vágner
Quem pode chegar: -
Quem pode sair: Araújo, Sóbis e Rafael Moura 
Retrospecto em 2012 (até 14/05/12): Brigou pelo que pôde em 2011, não ganhou nenhum, mas se classificou para a Libertadores com o melhor futebol do turno. Uma campanha promissora para este ano.
Pontos fortes: A inteligência tática de Deco aliada à individualidade de Thiago Neves e a finalização de Fred.
Pontos fracos:  A defesa individualmente é fraca e o esquema tático oferece espaços demais. Caso o tricolor traga dois bons zagueiros individualmente bons, fica difícil achar falhas. Outro grande problema são as frequentes lesões de destaques do time como Fred e Deco, que pareciam ter deixado isso para trás, mas devem deixar o Tricolor na mão contra o Boca.
Vai lutar por: Título
Análise:  elogiei o trabalho de Abel por aqui. A tendência é que após a Libertadores, o Fluminense esteja ainda mais a cara de seu técnico: um time vibrante e aguerrido, que faz da superação e individualidade armas para qualquer jogo. O grande problema do Tricolor é justamente se superar menos e ser mais regular. Pontos corridos exige um time que torne os jogos menos emocionante na maior parte da campanha.



Vasco
Técnico: Cristóvão Borges (Ricardo Gomes)
Time-base: Prass, Fágner, Dedé e Renato Silva e Thiago Feltri, Rômulo, Nilton, Diego Souza e Felipe (Juninho), Éder Luís e Alecsandro
Principais reservas: Juninho, Tenório, Felipe Bastos e Eduardo Costa
Quem pode chegar: -
Quem pode sair: Fágner, Eduardo Costa, Juninho, Felipe Bastos e Eder Luís 
Retrospecto em 2012 (até 14/05/12): Brigou por todos os títulos que pôde em 2011, e conquistou o segundo mais importante, tendo lutado pelo Brasileiro até a última rodada. 
Pontos fortes: A técnica da dupla Felipe e Juninho aliada à velocidade de Éder Luís e Diego Souza com a qualidade sobrenatural do zagueiro Dedé. Pontos fracos:  A defesa é dependente demais do seu melhor jogador e sem Éder Luís, Diego Souza não tem se mostrado um jogador confiável. É bom que o Vasco defina também, de uma vez por todas, se Ricardo Gomes volta ou se Cristóvão será o comandante.
Vai lutar por: Vaga na Libertadores
Análise:  Desde 2011, o Vasco é um time que brinca de acabar com as previsões dos especialistas. Você aposta que ele não vai chegar e ele vai lá e chega. Esse ano, isso ainda não se traduziu em um título, mas quem sabe? O blogueiro aposta em outra campanha sólida, emplacando uma classificação à Libertadores, mas preocupa o número de jogadores com contrato acabando no meio do ano. Sem Juninho, Éder Luís, Felipe Bastos e Fágner, é outro - e piorado - time.



Botafogo
Técnico: Oswaldo de Oliveira 
 Time-base: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos e Brinner, Márcio Azevedo, Marcelo Mattos e Renato, Fellype Gabriel e Maicossuel (Andrézinho), Elkesson e Loco Abreu
Principais reservas: Jóbson,Herrera e Jádson  
Quem pode chegar: Seedorf, Tulio Tanaka, Lima e Liédson
Quem pode sair: Elkesson 
Retrospecto em 2012 (até 14/05/12): Foi mal no Brasileiro, quando chegou a brigar pelo título mas terminou sem nem mesmo a classificação à Libertadores. Este ano, fazia excelente semestre e em dois jogos perdeu tudo o que disputava.  
Pontos fortes: Um elenco equilibrado e com opções que raramente deixam o nível do time cair, aliado à ótima dupla de volantes. 
Pontos fracos:  Apesar do equilíbrio, nenhum jogador consegue, com o perdão do trocadilho, desequilibrar a favor do alvinegro. Jóbson ainda não se recuperou tecnicamente e Loco ainda não demonstrou regularidade. A possível contratação de Seedorf pode dar a personalidade que a Estrela Solitária precisa.
Vai lutar por: Vaga na Sul-Americana, mas como em 2011 contratações podem mudar isso. A de Seedorf pode fazer isso.
Análise:  No início do ano, a vinda de Oswaldo parecia dar ao Botafogo o início de uma era melhor. Ele já demonstrou sinais de que pode ser o primeiro passo, mas ainda não chegou lá. Oscilante, o alvinegro precisa de reforços acostumados a protagonizar vitórias ao invés de serem reservas em clubes vencedores. Andrézinho, Fellype Gabriel e outros são úteis, mas falta ao Botafogo mais estrelas acostumadas a serem solitárias.

0 comentários: