Joel repetiu os mesmos erros de 2008

Publicado  sexta-feira, 16 de março de 2012


Joel Santana pode se irritar, se fazer de vítima e culpar o azar de novo. A verdade é que o acaso raramente se repete de forma tão igual quanto ele conseguiu. Eliminado na Libertadores de 2008 após vencer o jogo de ida de forma sólida e tomar três gols em pleno Maracanã na volta, desta vez o técnico, que já deveria ter se retirado do futebol, e o Flamengo terão uma chance de se recuperar. Que  aprendam com os erros que cometeram há quatro anos e ontem a noite.

Nas duas ocasiões, "papai Joel" leu mal o jogo e resolveu acelerar uma partida que deveria cadenciar. Em 2008, tirou Kleberson e Souza, dois jogadores com característica de reter a bola, e trocou por Diego tardelli e o xodó obina quando o América do México já tinha feito dois gols. O técnico afobadamente quis fazer o de honra e sofreu o terceiro, dias depois de se sagrar campeão estadual (é comum o rubro-negro sofrer vexames na primeira partida após um título carioca e dirigentes falarem em coincidência).

Contra o Olimpia após o primeiro gol paraguaio não fez nada além de colocar o inevitável Negueba (jogador razoável que vai acabar se desgastando com torcida e imprensa por conta dessa obsessão folclórica de Joel em criar um novo xodó). Jogos da Libertadores, infelizmente, se ganham na marra também. Após o segundo gol a entrada do volante Maldonado ou do zagueiro Gustavo poderia ter segurado o jogo ao invés da correria desenfreada sem objetividade que se viu. É óbvio que os jogadores em campo têm sua parcela de responsabilidade, mas nas duas derrotas o "papai" é o elemento em comum.

Não importa quem torcedores e a crônica esportiva critiquem. Joel Santana por duas vezes, no mesmo time e na mesma competição tomou três gols em jogos que já estavam praticamente decididos. Cabe ao técnico entender de uma vez por todas que a Taça Libertadores é muito diferente do campeonato carioca e que nenhuma partida está definida antes do apito final. Ou seguir culpando o destino.

******

Chama atenção uma crítica de Joel à derrota de 2008. "Eu vou ficar sendo castigado? Só eu? A responsabilidade tem de ser dividida. Há muitas coisas que aconteceram naquele dia que vocês não sabem." Não faço idéia do que o técnico fala. Mas se ele quer que certos segredos permaneçam no vestiário, então que os deixe lá e assuma a responsabilidade ao invés de fugir das críticas.

9 comentários: