Fracasso da passagem de Kleberson pelo Flamengo é misto de azar e incompetência

Publicado  domingo, 11 de março de 2012


 Herói do Fla-Flu desta rodada do Carioca, Kleberson parece ter ganho sobrevida no Flamengo justamente quando já parecia carta fora do baralho de um elenco repleto de volantes (Airton, Willians, Maldonado, Renato, Muralha e Luiz Antonio). Contusões do grupo rubro-negro ajudaram o volante a ter sua chance e a sorte de fazer um gol (em bela finalização) em uma atuação que não foi de encher os olhos. Aliás, a passagem de Kleberson pelo clube é assim: uma decepção enorme se comparada com a expectativa que sua contratação em 2007 causou. No máximo, um jogador regular ao invés do volante moderno que se esperava.

Kleberson chegou após litígio com Besiktas, da Turquia. Só poderia jogar em 2008 e mesmo com meses de treinamento até sua estréia (curiosamente em outro Fla-Flu, mas vencido pelo tricolor com direito ao créu de Thiago Neves), ele passou o ano oscilando partidas boas ou regulares com outras absolutamente pífias. Seu grande jogo foi no duelo contra o Palmeiras pelo segundo turno do Brasileiro quando foi fundamental na vitória maiúscula por 5X2.


No ano seguinte, Kleberson estava mais do que adaptado ao futebol brasileiro e ao Flamengo. Após algumas partidas irregulares, fez bons jogos com o técnico Cuca (que destacou a importância dos volantes em seu esquema em uma entrevista quase esquecida). Na final do Carioca, Kleberson abriu o placar quase sozinho em um jogo que por pouco não foi perdido para o Botafogo, que levou o jogo para os pênaltis, quase sinônimo de vitória para o rubro-negro. Convocado para a seleção, Kleberson finalmente parecia ter encontrado seu melhor futebol após o excessivo período de mais de um ano no clube. Infelizmente, uma contusão em um jogo da seleção o tirou do rubro-negro em seu melhor momento. Maldonado ocupou sua posição no elenco e foi decisivo na campanha do hexa naquele ano.


Veio 2010 e com ele, Kleberson não conseguiu se firmar com Andrade ou Rogério sempre com desempenho abaixo da crítica. Com Silas ensaiou uma boa apresentação contra o Vitória, mas mais uma vez a irregularidade surgiu e ele terminou o ano em baixa. Vanderlei Luxemburgo o colocou de lado e o empréstimo ao Atlético-PR parecia ideal para que ele recuperasse seu futebol. Outra contusão o que foi puro azar, mas que não justifica a demora de Kleberson em demonstrar competência com mais regularidade do que consegue desde a já distante Copa do Mundo de 2002.

Em seu último ano de contrato, Kleberson recebeu nova chance com Joel Santana, que o colocou várias vezes em 2008. O volante fez boa partida no Fla-Flu jogando aberto como uma saída de bola rápida na ausência do titular absoluto Leo Moura, que costuma fazer essa função, e sempre fechando o lado direito ajudando o ala Galhardo. O gol faz sua atuação parecer melhor do que realmente foi e deixa a expectativa para que Kleberson consiga se despedir do clube de forma mais digna do que seus quatro anos de oscilação. Fica a torcida por um dos heróis do Pentacampeonato de 2002.

2 comentários: