Derrota no Carioca, deve sacrificar libertadores do Fla

Publicado  quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Não é exclusividade de Patrícia Amorim, mas a verdade é que o Flamengo tem um longo e histórico padrão de usar o campeonato carioca como água para apagar incêndios internos e externos. Esse ano, a contratação indesculpável do medíocre Joel Santana tornou óbvia a pretensão da diretoria: abafar a crise com urgência com vitórias no carioca. Infelizmente, o técnico já fracassou na metade do "projeto" e com semanas de clube já tem uma campanha com resultados piores do que seu antecessor no Estadual.

É difícil acreditar que a pior gestão em décadas no clube seja do tamanho que a expectativa da torcida precisa e compre a briga pela Libertadores. O mais provável é que Joel Santana continue encostando o time B (dificilmente Lucas, Thomás, Muralha e Luiz Antonio jogarão esse semestre mais vezes do que jogaram com Vanderlei) para usar os titulares em uma Taça Rio avassaladora pela busca de mais um estadual enquanto vai levando a principal competição sul-americana - aquela que talvez seja a segunda ou terceira competição mais difícil do Brasil - como dá. É difícil ver isso acabar bem. E não acaba aí.

Demitir Vanderlei Luxemburgo para preservar Ronaldinho passou o pior recado possível para o elenco, que curtiu o carnaval como quis. A imagem não ficou boa para a torcida, que a despeito da passividade das organizadas (algumas com líderes com relações eticamente promíscuas com membros desta diretoria) vai perdendo a paciência com seu camisa dez. A conta vem chegando e é difícil acreditar que os dirigentes do clube conseguirão tomar as decisões difíceis que o momento pede.  

A Bola Não Entra Por Acaso é o título do livro sensação de gestão esportiva no momento. Nele, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, destaca que nenhum gol depende exclusivamente do pé de um centroavante oportunista. Seria bom que boa parte da torcida reflita que a derrota para o Vasco não pode cair apenas nas costas de Deivid e seu gol (quase) impossível de se perder.

******

Publicado originalmente no Flamengonet e adaptado para este espaço.

0 comentários: