Love não resolve problemas do Fla, mas de Patrícia

Publicado  segunda-feira, 23 de janeiro de 2012



O momento em que imprensa e torcida deveriam perceber todos os problemas da gestão Patrícia surgiu logo após a demissão de Zico. Com todos os seus erros, o Galinho foi crucificado de todas as formas possíveis deixando a vereadora incólume a todos os erros de sua administração. Desde então, Patrícia Amorim tem sido ágil em aparecer nos melhores momentos e desaparecer nos demais.

Escorregadia, a presidente do Flamengo sempre parece onipresente em momentos como o da apresentação de Zico no clube - uma idéia que não partiu de seu gabinete, embora ela tenha dado a entender que sim - e a vinda de Ronaldinho Gaúcho, mas se torna invisível com as crises. Nada nunca é culpa de Patrícia. Seu erro é o de se cercar por gente pouco competente, estas sim são as culpadas. A pobre menina - o substantivo não é meu, mas de um perfil pouco criterioso ao seu respeito - é uma vítima das circunstâncias e heroína dos melhores momentos.

E é em mais um cenário de crise que Patrícia ensaia trazer Vágner Love ao clube. O atacante melhorará - e muito - o time se vier, mas não resolverá os problemas do clube. Love não pode pagar salários em dia, não fará todo o grupo se comprometer e nem mesmo resolver a falta de uma proposta para o futebol, crônica anunciada da candidatura de Patrícia.

A vinda de Love entretanto resolverá a oscilação de Ronaldinho Gaúcho e trará um ídolo para que Patrícia ganhe novos holofotes. E, com ele, os votos para sua reeleição à vereadora e possivelmente à presidência do clube. É irônico que a gestão mais descompromissada com a torcida rubro-negra ensaie os atos finais de seu mandato com ações para que justamente os torcedores do clube garantam à Patrícia mais quatro anos ocupando um cargo público e aos sócios mais um mandato. Só lamento pelas finanças de um clube que só esse ano precisa pagar mais de R$40 milhões e não prevê de onde irá tirar o dinheiro em seu orçamento. Isso Love não resolverá e Patrícia não se importa.

0 comentários: