5 Motivos para Romário ser melhor que Ronaldo!

Publicado  terça-feira, 7 de junho de 2011


O clichê da semana é a comparação pra lá de esdrúxula entre dois mitos do futebol brasileiro: Romário e Ronaldo. O Fenômeno é o incomparável craque midiático dentro e fora de campo. Talvez só Pelé tenha sido tão universal, expansivo e reverberador como o ex-atacante do Barcelona e Real Madrid. Ronaldo foi um dos primeiros craques a serem vendidos antes dos 20 anos e emplacar lá fora, jogou em alto nível justamente durante a ascensão da mídia e globalização e isso justifica que torcedores pensem que ele foi o maior desde Pelé (uma heresia repetida à exaustão nesses dias), mas esperava-se mais de formadores de opinião e pessoas que vivem o esporte diariamente.

Pra fechar esse assunto, vamos aos cinco motivos que tornam o baixinho um jogador incomparavelmente melhor:

Times: Ronaldo jogou com Zidane, conviveu com Rivaldo, Ronaldinho e outros expoentes. Romário desequilibrou ao lado do decepcionante Sávio, consagrou o superestimado Iranildo e por aí vai. Se Copa do Mundo é o argumento definitivo (apenas para preguiçosos, diga-se) Romário foi rei com um meio campo com Mauro Silva, Dunga e Mazinho. Ronaldo dividiu seu reinado com Rivaldo e Ronaldinho e pôs abaixo o ótimo time de 98 na final.

Perfeição: O primeiro argumento para consagrar Pelé como o deus supremo do futebol é o fato dele dominar todos os elementos. Romário era um exímio cabeceador - compensando o tamanho com uma impulsão e posicionamento impressionantes - e chegou a jogar de meia com um desempenho muito acima dos jogadores da posição, demonstrando um passe milimétrico e inteligência afiadíssima. Ronaldo cabeceava mal (embora o tamanho ajudasse) e sempre dependeu demais da velocidade. Se virou sem ela, mas com cada vez mais dificuldade.

Durabilidade: Ronaldo talvez tenha alcançado níveis mais altos em momentos muito específicos da carreira e em times extraordinários. Fracassou na seleção em 98, no Milan e sempre saiu em baixa de seus clubes. Para com pouco mais de 30 sem fazer grandes partidas pelo Corinthians há dois anos. Romário parou aos 41, sem velocidade e dependendo só de inteligência e posicionamento para seus gols. Foi artilheiro do brasileiro com mais idade que Ronaldo para. Até o fim o jargão "de muletas ele desequilibra" compensou as inevitáveis lesões na panturrilha.

Ele parou aos 41. Ronaldo foi parado aos 34, se rendendo às lesões, protestos da Fiel e a falta de cuidado com sua silhueta.

Importância: Ronaldo foi um ídolo midiático. Romário foi o ídolo que tivemos e deixou o Barcelona porque preferia o Brasil em uma idade onde ainda jogava no auge. Nos deu o seu melhor futebol, mesmo que nem sempre tenha sido seu melhor. Ronaldo nos deu seu resto. Isso não torna nenhum jogador melhor, mas põe por terra qualquer número que os entusiastas da Champions League gostam de levantar ao falarem da falta de títulos europeus do ex-camisa 11. Romário jogou na melhor idade no mais competitivo campeonatos. Fez a diferença aqui, com todas as dificuldades e amadorismos que nosso futebol traz.

Pressão: Se você tem menos de 25 anos hoje, dificilmente entende o que foi a Copa de 94. O Brasil era desacreditado, estávamos há 20 anos sem uma Copa do Mundo e não parecia que seria ali. Nunca jogadores da seleção passaram por tanta pressão. E entre eles ninguém respondeu tão bem quanto Romário. Ronaldo jamais teve que passar por isso e deveria agradecer ao ex-companheiro.

31 comentários: