Invicto, Fla perde dinheiro e transparência com Patrícia Amorim!

Publicado  segunda-feira, 2 de maio de 2011


Não é segredo para ninguém que me acompanha por aqui qual a minha opinião sobre Patrícia Amorim. Descendente direta da trupe de dirigentes como Eurico Miranda & cia., Patrícia há anos usa o clube e a sua torcida para perpetuar uma carreira irrelevante como vereadora no Rio de Janeiro. Lamentável é o eleitor que confunde futebol com política e vota em alguém assim, mas isso é outro papo.

Fato é que com todas essas características ainda havia quem usasse Ronaldinho Gaúcho, a fracassada vinda de Zico e, agora, o incontestável título estadual invicto do clube para justificar sua gestão. "É vítima de preconceito", diziam alguns apostando que o sexo de Patrícia justificaria uma proteção para a moça. Bem, tudo cai por terra com a divulgação do balanço de 2010 do clube.

Algo que tenho reparado muito na gestão Patrícia é a quantidade de ações que são tomadas na surdina, sem que haja muito o que se discutir. Pois foi numa sexta a feira à noite, antevéspera da decisão do carioca, o dia escolhido pela diretoria para divulgar o balanço do clube. Repare que o site oficial publicou o arquivo após as 22h, imagine quantos torcedores e jornalistas estavam atentos naquele horário? Pois é. Aliás, houve o cuidado da notícia não ser enviada para quem assinou o feed de notícias de futebol, revelando mais uma característica dessa gestão: a de tomar o cuidado de afastar os torcedores desse tipo de notícia. Como se não houvesse relação.

Nas próximas semanas eu e muita gente boa vamos comentar esse assunto pelas redes sociais. Assunto que, diga-se de passagem, a imprensa esportiva ignorou dias depois. Para começar basta você saber dos dois maiores escândalos desse balanço:

- A diretoria atual CORTOU dinheiro do futebol, carro-chefe do clube, e forneceu para os esportes olímpicos, que não se sustentam. É bom que se diga: os esportes olímpicos formam a base eleitoral de Patrícia.

- As dívidas a curto prazo aumentaram no ano em que o Flamengo era campeão brasileiro sem nenhuma justificativa plausível. Agora imagine como será o balanço de 2011 em um ano em que o clube chega aos quinto mês do ano sem patrocínio? É...

A falta de transparência, vontade de esconder o que está errado e aumento exponencial da dívida do clube lembram uma época bem ruim para o clube. É bom os sócios que elegeram Patrícia cobrarem firme ela por essas ações. Não sei mesmo se o clube resiste a mais uma era parecida com a época insondável da ISL. Certo, presidente?

Certo.

13 comentários: