Guardiola deveria dar cursos no Brasil

Publicado  sábado, 28 de maio de 2011


O clichê você já conhece. Ao invés de aperfeiçoarmos as características do nosso futebol resolvemos copiar o que de pior havia na Europa. E vida que segue.

O técnico louvado aqui é Muricy Ramalho. O cara que fez o Santástico virar um time de pegada, foi tricampeão brasileiro com a melhor infraestrutura do País, mas recebeu todos os méritos e por aí vai. Já perdi a conta da quantidade de comentaristas ou jornalistas que defende o trabalho de A ou B com o argumento de que "o que vale é o resultado". Celso Roth e Paolo Rossi não falariam melhor.

É por isso que ver o Barcelona ser campeão da Champions League é tão importante. O título de 2011 é o argumento supremo: resultado e futebol, este o mais importante. Pena que isso tenha sido deixado de lado. Cada vez mais a gente vê a dividida ganhando do drible. O torcedor quer mais a vitória do que o futebol. É só isso mesmo que queremos?

Pepe Guardiola poderia dar palestras no Brasil. Não só para técnicos, mas também para nossas redações esportivas. Tem gente que precisa entender que o futebol é mais do que o placar.

Hey, Al Capone! Vê se toca essa bola...

Publicado  sábado, 21 de maio de 2011



O comentário de André Sanchez qualificando CBF e Rede Globo de "tudo gângster" surpreende menos do que ofende. E nos deixa mais surpresos do que indignados. Amantes do futebol somos todos reféns desse tipo de representação. É a paixão nacional dirigida por todos os Uês que o mundo da bola pode fazer.

Sanchez, creio eu, não quis dizer literalmente o que parece. Ele argumenta que descrevia apenas quem tenta sempre obter seus próprios interesses "usando as cartas que têm". Curioso é ao invés de usar "diplomatas", "negociantes" ou até mesmo "mercadores" ele tenha feito a comparação com um sinônimo de criminosos. Talvez não seja um erro. Quem sabe um honestíssimo ato falho?

E fica aquela dúvida quem seria o "godfather"* do presidente do Corinthians? Quem é o poderoso chefão que todos os dias torna o nosso esporte menos exemplar do que deveria?

*"godfather" é a tradução de "padrinho", que dá o nome da trilogia de Francis Ford Coppola traduzida aqui como "O Poderoso Chefão". O termo era usado como tratamento dos chefões da Máfia, mas foi ignorado na tradução do título do filme.

As chances dos times paulistas no Brasileirão

Publicado  




Houve um tempo em que os times paulistas transformavam o campeonato Brasileiro em uma filial de luxo de seu campeonato estadual. Não apenas pelos quatro grandes disputarem o título - ou pelo menos dois ou três deles - mas também por haver outros times do interior classificados para a série A.

Isso mudou. Com apenas o G4 paulista na série A, vejo os clubes de SP com um curioso pessimismo. Com a exceção do Santos, que não é da capital, a tendência é brigar apenas por Sul Americana.

Sociedade Esportiva Palmeiras
Técnico: Felipão
Time-base: Marcão, Cicinho, Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Marcos Assunção, Pierre, Willians (Patrick) e Valdívia; Kléber e W. Paulista.
Principais reservas: Patrick, Tinga & Deola
Quem pode chegar: Martinuccio
Quem pode sair: Valdívia
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Campanha irregular no Brasileiro, eliminado do campeonato paulista
Pontos fortes: Jogadas de bola parada contando com a precisão do veterano Marcos Assunção, além das arrancadas e lances de Valdívia e a agressividade do atacante Kléber. Atenção com o ótimo lateral-direito Cicinho.
Pontos fracos: Elenco limitado e sem nenhuma grande opção no banco.
Vai lutar por: Sul Americana
Análise do autor: Felipão costuma levar meses para emplacar seu trabalho e quando consegue forma times extremamente raçudos, sólidos na defesa e que sabem como decidir um jogo. Infelizmente, o Palmeiras de 2011 ainda não chegou lá. Com muitas limitações e com o clube dividido politicamente brigar por sul americana é um grande mérito para um elenco que no papel brigaria para não cair. O talento de Valdívia pode ajudar a reverter isso, mas o chileno parece cada vez ser um jogador pior do que a imprensa paulista fez parecer em 2008.

Santos Futebol Clube
Técnico: Muricy Ramalho
Time-base: Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Ganso; Neymar e Keirrison.
Principais reservas: Alan Patrick, Maikon Leite
Quem pode chegar: Borges & Zé Roberto
Quem pode sair: Ganso, Arouca & Neymar
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Campanha irregular no Brasileiro, campeão paulista e único time brasileiro ainda na Copa Santander Libertador
Pontos fortes: Ataque mortal com a presença de Neymar e articulação de Elano & Ganso com um esquema defensivo sólido
Pontos fracos: Elenco dependente demais de Neymar & Ganso. O nível técnico cai muito sem os dois.
Vai lutar por: Título
Análise do autor: Se o Santos conseguir manter Neymar e Ganso e com o provável reforço de Borges (sem clima no Grêmio e adorado por Muricy) é difícil não colocá-lo como favoritíssimo ao título. Na Copa Santander Libertadores o alvinegro praiano tem demonstrado uma defesa fortíssima e um Neymar cada vez mais decisivo, mas ainda se ressente de um homem-gol com as péssimas fase de Zé Love (que não jogará o Brasileiro) e Keirrison (há quase dois anos sem jogar bem). Vai ser difícil enfrentar um time com dois jogadores tão geniais e uma defesa tão fechada se o clube contratar um bom centroavante. Pra mim, o grande favorito do campeonato.

São Paulo Futebol Clube
Técnico: Carpegianni
Time-base: Ceni, Jean, Rodolfo & Alex Silva, Juan, Rodrigo Souto e Casemiro, Lucas e Carlinhos Paraíba, Dagoberto & Fernandinho
Principais reservas: Marlos, Rivaldo e Xandão
Quem pode chegar: Forlán
Quem pode sair: Alex Silva, Casemiro & Rodrigo Souto
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Pior campanha no Brasileiro em cinco anos, eliminado do campeonato paulista pelo campeão e da Copa do Brasil pelo regular Avaí.
Pontos fortes: Ataque rápído
Pontos fracos: Elenco desequilibrado e taticamente impreciso com esquemas de Carpegianni
Vai lutar por: Sul Americana
Análise do autor: Carpegianni é outro técnico que sofre pressão, mas dessa vez pelo óbvio: Rivaldo, aos 39 anos, não pode mais ser titular. O São Paulo possui bons valores e conta com um Dagoberto em boa fase, mas a falta de bons volantes, torna o clube dependente demais das arrancadas de Lucas e das arrancadas de Luiz Fabiano, que talvez nem jogue o primeiro turno. A infraestrutura do clube joga a favor e sempre torna o São Paulo mais forte do que seu elenco faz parecer, mas é improvável que o clube consiga mais do que Sul Americana se não houver uma mudança enorme de reforços.

Sport Club Corinthians
Técnico: Tite
Time-base: Julio César, Alessandro, Leandro Castán e Chicão, Fábio Santos, Paulinho & Ralf, Morais e Ramirez, Sheik & Liédson
Principais reservas: Jorge Henrique, Morais e Wiilians
Quem pode chegar: Fábio Simplício, Seedorf, Cristian e ?
Quem pode sair: Ninguém
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Terceiro colocado no brasileiro e vice-campeão paulista, perdendo de forma incontestável para o Santos.
Pontos fortes: Defesa
Pontos fracos: Elenco dependente demais da antecipação da abertura da janela
Análise do autor: O técnico Tite começa o campeonato bem pressionado e sem os reforços que dependem da improvável antecipação da janela. Além disso, o Corinthians vive um clima eleitoral que pode até fazer a gente lembrar do Flamengo de 2009, mas no Parque São Jorge essa pressão deve dificultar mais ainda as coisas. Mesmo que a CBF antecipe a janela acho improvável que Tite consiga treinar e preparar o time no meio do campeonato e a pressão após o fracasso do centenário deve atrapalhar bastante uma arrancada mesmo para uma classificação à Copa Santander Libertadores.

As chances dos times cariocas no Brasileirão

Publicado  sexta-feira, 20 de maio de 2011

Antigamente pontos corridos era sinônimo de sofrimento para os times do Rio. O apequenamento da torcida vascaína (que perdeu a terceira posição em número de torcedores para o São Paulo) e a falta de campanhas relevantes dos outros clubes fez a cidade maravilhosa perder espaço quando o assunto era futebol.

Isso ainda não mudou como poderia, mas ao menos depois de dois anos mantendo a taça aqui, o Rio de Janeiro pode sonhar com o retorno da hegemonia dos anos 80. Sonhar, por enquanto.


Clube de Regatas Flamengo
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Time-base:Felipe , Léo Moura, David & Wellinton e Junior César, Willians, Renato Abreu, Bottinelli & Thiago Neves, Ronaldinho & Wanderley (Deivid)
Principais reservas: Diego Maurício, Negueba e Angelim
Quem pode chegar: Seedorf, Rodrigo Souto, Borges, Vágner Love, Juan e André
Quem pode sair: Willians, Deivid, Egídio, Alvim, Marquinhos
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Brigou para não cair em 2010, campeão estadual invicto e eliminado da Copa do Brasil
Pontos fortes: Jogadas de Thiago Neves, arrancadas de Léo Moura e um time bastante técnico.
Pontos fracos: Elenco com carências individuais, especialmente a falta de um homem-gol. No ataque bastante lento também.
Vai lutar por: Classificação para a Copa Santander Libertadores
Análise: Posso fazer inúmeras críticas morais a Vanderley Luxemburgo, mas este não é o objetivo do post. Em termos táticos
sua formação tem me agradado e acho mesmo que o Flamengo vem evoluindo. Preocupa apenas ele parecer ignorar a falta de velocidade no ataque deixando Negueba e Diego Maurício (este com a cabeça na Europa). Na real acho um time competente que vai beliscar a Libertadores, mas pode sonhar com algo mais dependendo dos reforços.

Atualização: Com o reforço do bom lateral Junior César o time toma mais corpo, mas precisa de um centroavante e um zagueiro urgentemente. Vanderlei e Welinton não rimam com campeão.

Fluminense Footbal Club
Técnico: Abel Braga
Time-base: Berna, Mariano, Leandro Eusébio e Gum, Carlinhos, Edinho e Diguinho, Deco & Conca, Fred e Rafael Moura
Principais reservas: Rodriguinho, Julio César e Araújo
Quem pode chegar: Márcio Rosário, Elkeson
Quem pode sair: Araújo, Deco
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Campeão brasileiro e em constante ebulição política e crise em 2011
Pontos fortes: Jogadas individuais de conca e a dupla de ataque composta por dois centroavantes
Pontos fracos: Crise política que gera desestabilização do grupo que atravessa alguma crise quase toda semana.
Vai lutar por: Classificação para a Copa Santander Libertadores
Análise: O Fluminense
tem ido contra tudo o que previ esse ano e se parece cada vez mais com o Flamengo de 2010. As crises internas tem atrapalhado bastante o clube, mas ainda acho que se não cometerem a loucura de romper com o patrocinador a tendência é continuar brigando pela ponta novamente. Especialmente porque Abel é bem diferente de Rogério e Silas.

Botafogo Futebol e Regatas
Técnico: Caio jr.
Time-base:Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Arévalo, Cidinho e Maicosuel; Herrera e Loco Abreu
Principais reservas: Caio
Quem pode chegar: Gilberto, Seedorf, Andrezinho, Elkeson
Quem pode sair: Alessandro
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Brigou pela classificação à Copa Santander Libertadores em 2010, mas se desfez da maior parte do elenco.
Pontos fortes: Presença de área de Loco Abreu e a velocidade do meia Maicossuel.
Pontos fracos: Elenco limitado e a aposta no superestimado Caio Jr.
Vai lutar por: Classificação para a Sul Americana
Análise: O Botafogo podia ousar mais, mas desperdiçou 2011. Se desfez de vários jogadores emprestados e que foram úteis em 2010 (como o meia Edno) e contratou pouco. Os reforços podem mudar a pespectiva, mas chegarão com o Brasileiro rolando e com pouco tempo para o técnico Caio Jr., que não tem nenhum título na carreira, aproveitar.

Clube de Regatas Vasco da Gama
Técnico: Ricardo Gomes
Time-base: Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Rômulo, Fellipe Bastos, Felipe e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro
Principais reservas: Élton & Bernardo
Quem pode chegar: -
Quem pode sair: Eduardo Costa
Retrospecto em 2011 (até 20/05/11): Brigou pela classificação à Sul-Americana, começou muito mal este ano, mas se recuperou e alcançou o vice-campeonato da Taça Rio e a classificação à semifinal da Copa do Brasil.
Pontos fortes: Ótimas opções de meias e bons alas.
Pontos fracos: Defesa ainda pouco confiável e muita responsabilidade em cima do apenas regular Alecsandro.
Vai lutar por: Classificação para a Copa Santander Libertadores
Análise: O Vasco de Roberto Dinamite patinou, mas finalmente montou um elenco acima do razoável. Claro que muita coisa depende do rendimento dos reforços - e gente como Diego Souza e Bernardo são tudo menos confiáveis -
mas ainda levo fé. Mais fé do que levo no trabalho de Gomes, mas acho que as condições para ele são boas. Será?

Porque torci para o Inter em um Gre-nal

Publicado  domingo, 15 de maio de 2011

Já teci elogios ao Internacional por aqui, mas não seriam eles que me fariam torcer contra o Grêmio. Vivemos uma escassez de técnicos e de idéias táticas que tornam o futebol brasileiro cada vez mais chato e cercado pelos mesmos professores. Falcão chegou para substituir justamente um nome pra lá de previsível nos times brasileiros: Celso Roth.

Você olha para trás e lembra da mítica seleção de 82. Falcão estava lá e para muita gente até tem um papel mais relevante naquele fracasso canarinho. Depois disso ele se aposentou de forma discreta, virou técnico com uma passagem ruim pela seleção e um comentarista nota 10. Sempre com aquele ar britânico que tornam o ídolo colorado um personagem diferente no futebol. Mas seguiu discreto.

Todos os remanescentes da seleção de 82 acabaram se afastando do papel de protagonistas de futebol. Zico ensaiou uma carreira de técnico com bons momentos, mas distante do torcedor brasileiro. Junior foi muito mal e Oscar é até dono de CT. Leandro ninguém sabe muito bem e por aí vai. Todos eles fazem muita falta ao futebol.

Na prática, o ressurgimento de Falcão como técnico pode não ser apenas uma novidade boa, mas um retorno a uma época em que valia a pena esperar dias por um jogo de futebol. Aposto que para o ex-comentarista toda espera nos corredores da Globo valeu a pena por este momento. Pra mim já valeu. E para você?

O Gringo

Publicado  sexta-feira, 6 de maio de 2011


Quando o Vitória contratou um meia sérvio do Real Madrid foi nota em vários jornais cariocas. Lembro bem da página do Jornal dos Sports que tinha aquele gringo meio bonachão com a camisa do clube espanhol e me pegava pensando "esse cara joga mesmo?"

Pet jogava. Muito.

E não demorou para cruzar o caminho do Flamengo. É bom lembrar: o massacrante 3X0 rubro-negro fez o Real usar um time de reservas contra o Vitória naquele torneio amistoso de 97. Dejan Petkovic se destacou no jogo, chamou atenção dos dirigentes baianos que perderiam Bebeto e o resto é detalhe culminando com suas inesquecíveis passagens pelo clube.

É bom lembrar dessas coisas e pensar que, de repente, aquele camisa dez já tinha um destino a cumprir.

"Esse gringo me lembra o Zico", era o comentário de algum dirigente obscuro de alguma matéria esquecida que li. Detalhes que se perderam para só lembrarmos do futebol de Pet. O sérvio que ensinou ao Brasil que o futebol faz a gente se sentir deliciosamente mais ignorante de sua realidade universal. A bolinha repete isso todas vezes em que temos essas boas surpresas.

O Gringo pode ser o título do documentário que retrata a vida do atleta. Mas é também um equívoco. No país do futebol, Pet sempre será lembrado como O Camisa Dez. Zicoassinou embaixo. Que falta que ele faz.

Exagerado (ou não) do dia: Cuca

Publicado  quinta-feira, 5 de maio de 2011


Se você treina melhor e joga melhor, você ganha espaço. Em consequência, outro jogador perde espaço. O que eu não concordo com ele, é ele dizer que recebeu proposta de um grande clube, porque ele está num grande clube. E maior, de repente, do que ele imagina que é o clube que fez proposta para ele.

Cuca, ao comentar de forma pra lá de direta a proposta do Flamengo para o lateral Diego Renan. Aparentemente, sua passagem pelo rubro-negro deixou marcas bem profundas sobre o respeito do clube aos profissionais. Mexe com quem tá quieto.

5 explicações para fracasso brasileiro na Liberta 2011

Publicado  


1- Arrogância: toda vez que falamos de soberba há uma impressão de que o time passou a noite rindo do adversário e no jogo os atletas ficaram deitados fazendo embaixadinha. Há diferentes tipos de prepotência. Não poupar jogadores em competições menos importantes como Santos e Internacional fizeram não deixa de ser uma forma de acreditar, de forma excessivamente confiante, que um elenco pode aguentar quatro jogos em altíssimo nível em duas semanas. Da mesma forma, achar que um placar conquistado no primeiro é irreversível no segundo também. No geral, os times brasileiros parecem ter dado menos importância a preparação para o segundo jogo do que deviam.

2- Estaduais: Perceba que se o Fluminense fosse um pouco melhor nos pênaltis poderia ter passado por um jogo decisivo a mais por semana, como Internacional, Grêmio e Cruzeiro passaram. Três dos quatro times tiveram essa dificuldade e foram eliminados. Você acha que é coincidência?

3- Falta de liderança: Quem é o grande líder do Cruzeiro? O calado Montillo ou o irregular Roger? Quando os jogadores do Grêmio ficam descontrolados, apostam no discurso e qualidade de qual jogador: o tímido Douglas ou no mascarado Borges? Você lembra bem de Juninho em 98, pelo Vasco ou Fernandão erguendo a taça no Internacional de 2006, mas é difícil enxergar nos times eliminados aquele jogador que bate no peito e comanda o time não só na técnica (como Montillo ou Douglas), mas também na reação e na emoção.

4- Técnicos: Não há entre os profissionais eliminados nenhum grande comandante. Isso faz diferença desde as substituições equivocadas de Falcão até a conhecida falta de serenidade de Cuca. O Internacional obteve suas duas Taças Libertadores com técnicos que não tinham grandes conquistas até então, mas veja que mesmo Carpegianni em 81 e Roth em 2010 foram precedidos por um ótimo trabalho de um técnico anterior e da diretoria do clube, respectivamente.

5- Karma: Times brasileiros disputam a Libertadores paralelamente a estaduais, falta pegada ou a Conmebol não fala português. Escolha seu motivo subjetivo ou ficcional, mas a questão é que o 4 de maio de 2011 foi apenas um dia em que catástrofes que ocorriam uma vez por ano, ocorreram de uma vez. Há tempos os times brasileiros caem de forma imprevisível para times sem nenhuma tradição - este ano apenas o Peñarol pode ser uma exceção. Há alguma coisa errada na forma como nossos times encaram o torneio.

******

E é bom dizer: ninguém anda lembrando que o Tolima eliminou o terceiro melhor time no último Brasileirão e saiu na primeira fase.

Jênio do dia: Jóbson

Publicado  quarta-feira, 4 de maio de 2011


É uma falta de respeito, porque queriam me internar por 15 dias em uma clínica de reabilitação. Isso me deixou muito chateado. Não sou nenhum louco. Como não ficar bolado?

Disse Jóbson, que saiu do Botafogo sem justificativas e abandonou o Atlético-MG subitamente e faltou a reuniões para negociar uma transação internacional. Tudo isso após quase ser banido do esporte por usar cocaína duas vezes. Um sujeito são, sem dúvida.

Invicto, Fla perde dinheiro e transparência com Patrícia Amorim!

Publicado  segunda-feira, 2 de maio de 2011


Não é segredo para ninguém que me acompanha por aqui qual a minha opinião sobre Patrícia Amorim. Descendente direta da trupe de dirigentes como Eurico Miranda & cia., Patrícia há anos usa o clube e a sua torcida para perpetuar uma carreira irrelevante como vereadora no Rio de Janeiro. Lamentável é o eleitor que confunde futebol com política e vota em alguém assim, mas isso é outro papo.

Fato é que com todas essas características ainda havia quem usasse Ronaldinho Gaúcho, a fracassada vinda de Zico e, agora, o incontestável título estadual invicto do clube para justificar sua gestão. "É vítima de preconceito", diziam alguns apostando que o sexo de Patrícia justificaria uma proteção para a moça. Bem, tudo cai por terra com a divulgação do balanço de 2010 do clube.

Algo que tenho reparado muito na gestão Patrícia é a quantidade de ações que são tomadas na surdina, sem que haja muito o que se discutir. Pois foi numa sexta a feira à noite, antevéspera da decisão do carioca, o dia escolhido pela diretoria para divulgar o balanço do clube. Repare que o site oficial publicou o arquivo após as 22h, imagine quantos torcedores e jornalistas estavam atentos naquele horário? Pois é. Aliás, houve o cuidado da notícia não ser enviada para quem assinou o feed de notícias de futebol, revelando mais uma característica dessa gestão: a de tomar o cuidado de afastar os torcedores desse tipo de notícia. Como se não houvesse relação.

Nas próximas semanas eu e muita gente boa vamos comentar esse assunto pelas redes sociais. Assunto que, diga-se de passagem, a imprensa esportiva ignorou dias depois. Para começar basta você saber dos dois maiores escândalos desse balanço:

- A diretoria atual CORTOU dinheiro do futebol, carro-chefe do clube, e forneceu para os esportes olímpicos, que não se sustentam. É bom que se diga: os esportes olímpicos formam a base eleitoral de Patrícia.

- As dívidas a curto prazo aumentaram no ano em que o Flamengo era campeão brasileiro sem nenhuma justificativa plausível. Agora imagine como será o balanço de 2011 em um ano em que o clube chega aos quinto mês do ano sem patrocínio? É...

A falta de transparência, vontade de esconder o que está errado e aumento exponencial da dívida do clube lembram uma época bem ruim para o clube. É bom os sócios que elegeram Patrícia cobrarem firme ela por essas ações. Não sei mesmo se o clube resiste a mais uma era parecida com a época insondável da ISL. Certo, presidente?

Certo.