Sobre dispensas e contratações

Publicado  sábado, 22 de janeiro de 2011

Finalmente a temporada começa e todos os clubes já mostram caras novas ou ao menos o torcedor sente saudades de algumas mais antigas. Antigamente, não havia muito mistério. Mas o futebol mudou, evolui comercialmente e perdeu em significado, e hoje qualquer saída ou chegada de jogador é acompanhado de equações que parecem indecifráveis para qualquer planilha de excel. A época do passe era tão mais simples...

Em termos, a saída de um jogador tem no melhor dos mundos a venda. O clube que perde recebe dinheiro e o clube que contará com o atleta paga. Na prática, é comum uma saída de graça para minimizar um prejuízo com alguém que não emplacou. O pior dos mundos é uma saída em que o clube não ganha nada e ainda precisa pagar algo ao jogador. O Flamengo fez isso devendo luvas ao atacante Diogo e ainda pagando o valor do empréstimo ao Olimpiakos, sem que o Santos assuma nenhum ônus. Não é exclusividade da Gávea. O Corinthians paga a maior parte dos salários de Souza, emprestado ao Bahia.

Contratação pode parecer mais simples, mas não é. Com todos os clubes endividados nem sempre é possível comprar os direitos federativos então é comum a formação de times de aluguel, onde muitos chegam por empréstimo. Deixando o custo de cada transação de lado, já que é uma discussão à parte, eu costumo pensar no seguinte critério: se o jogador não está pronto para resolver na posição em que joga, mas pode estar algum dia deve ser comprado. Se o cara já pode assumir a posição com facilidade, então pode vir por empréstimo.

O pior dos mundos é trazer por empréstimo um jogador imaturo que irá amadurecer no período de empréstimo, mas vai alternar bons e maus momentos. O Palmeiras viveu isso em 2009, com um time formado por muitos jovens (Keirrison, Marquinhos etc.) que não conseguiram segurar a barra de um time que viveu uma década bem ruim. O Flamengo cometeu um erro parecido ao comprar apenas parte dos direitos do volante Airton e receber muito pouco pela saída de um jogador tão importante. Espera-se que tenham aprendido com o erro e já tenham alguma garantia com os direitos do jovem Vander, destaque no início da temporada.

Vale a pena acompanhar qual o critério de certos dirigentes nos dois casos. Eles não costumam aprender com os próprios erros.

******

Originalmente publicado no Flamengonet. E readaptado para este espaço.

0 comentários: