5 Motivos para Palmeiras melhorar em 2011!

Publicado  terça-feira, 30 de novembro de 2010

No post de sexta-feira, não ficou muito claro o porquê de acreditar que o Palmeiras do próximo ano será um time bem mais forte. Para a coisa ficar mais objetiva - este é um blog de crônicas, oras - resolvi dividir tudo em tópicos. Lá vai:

1- Felipão: Muita gente não percebe, mas Luiz Felipe Scolari sempre demora a emplacar seus trabalhos. Foi assim no Criciúma, Grêmio, no próprio Palmeiras, e até na seleção brasileira, tanto que muita gente que respeito não acha o trabalho dele tão bom assim. Pra mim, depois que emplaca é um sai de baixo... Seus times costumam vender caro qualquer derrota, ser muito objetivo para conquistar resultados (especialmente em mata-mata) e fazem jogo duro à qualquer time anos-luz melhor tecnicamente. O Ajax que o diga.

2-O time: Essa aqui é dura de engolir e eu sei que a maioria dos palmeirenses não quer nem ouvir falar desse elenco, mas vamos lá: o Palmeiras tem dois meias que são artigo raro nos dias de hoje. Valdívia e Lincoln podem jogar juntos (desde que o chileno pare de se machucar) e Kléber e Éverthon são boas opções de ataque, desde que haja um centroavante mais qualificado como opção, e Marcos Assunção pode ser uma arma fatal desde que não seja a única desse time. Está pintando que sem libertadores os reforços serão modestos, mas acredito que o time volte mais qualificado.

3- O Clube: o Palmeiras guarda fortes semelhanças com o Flamengo quando o assunto é política interna. Porém, em 2011 a coisa não tem como ser pior do que esse ano mesmo que a situação vença a oposição no pleito. Claro que resultados ruins vão complicar e a transferência de Valdívia é realmente estranhona, mas não acredito que com as eleições acabando o Parque Antártica continue em chamas como está. As coisas vão melhorar.

4- A torcida: Olha, essa aí é a parte mais duvidosa da coisa. A cena do garotinho japonês chorando no último jogo revela um pouco não só do que o torcedor sentiu como também o estado de calamidade pública da torcida alviverde. A Mancha Verde, turma do Amendoim e sei lá mais quem brigando com todo mundo e entre si. Já expulsaram Wagner Love, Keirrison, Luxemburgo e parecem não querer descansar até conseguirem repetir o triste espetáculo da torcida do Coritiba em 2009. Eu espero mesmo que a torcida melhore, esqueça o passado e dê mais apoio ao time. Não é uma opção. É questão de sobrevivência. E por isso mesmo acho que ela vai melhorar.

5- Tiririca: Bom, essa você já conhece, né? Eu detesto o ditado e acho que sempre pode piorar, mas depois de um ano tão ruim acredito que os remanescentes no elenco farão de tudo para apagar 2010. Aposto em um grande campeonato paulista ou Copa do Brasil (Felipão já levou a taça pra casa mais de uma vez) e, por pura intuição, não duvido que o Palmeiras obtenha ao menos uma taça em 2011. A tendência é melhorar.

Entenda porque seu time não deve "entregar"

Publicado  domingo, 28 de novembro de 2010

Existe um limite para o tolerável quando o assunto é torcida. Se tolera que o torcedor xingue, faça ameaças cruéis e até mesmo use casos lamentáveis contra rivais. Porém, não é razoável se tolerar que qualquer torcedor peça ao seu time para entregar o resultado, em nome de uma rivalidade besta que apequena seu próprio time.

Lembre-se torcedor: pedir aos seus jogadores para entregarem é apoiar cada pessoa que fura uma fila ou que paga suborno para escapar de uma multa. Quando você esquece de qualquer ética para obter uma pequena vitória ou um momento minúsculo de alegria, apequena não só ao seu time, mas a você também.

O futebol é um reflexo do que nós somos. O torcedor que subverte as regras para vilipendiar seu rival repete o mesmo expediente de governos que se beneficiam com leis e licitações sem desrepeitar nenhuma lei, mas sem código de ética algum também.

Pense em seus amigos, na sua família e entes queridos. É esse o mundo que você quer para todos eles?

Como torcedores somos todos xiitas e fanáticos, aprendemos a só considerar os erros contra nós e julgar como acerto apenas o que nos favorece. Mas a bola rola por 90 minutos e depois nada mais nos resta a não ser nós mesmos. Pense com você mesmo: é essa a sociedade que queremos aceitar?

Nosso destino é tolerar a geração do "Entrega"?

O Palmeiras será melhor em 2011. E os outros?

Publicado  sexta-feira, 26 de novembro de 2010


falei por aqui do efeito que derrotas podem gerar. Muitos times ficam tão marcados por fracassos que crescem justamente para que eles sejam esquecidos. O Palmeiras teve na noite da última quarta-feira uma das mais inesquecíveis derrotas de sua história, ao perder para o Goiás o confronto pela Sul-Americana.

Luiz Felipe Scolari não foge de lutas e é conhecido por dar resultados em todos os times que trabalha, ainda que sem apresentar um futebol vistoso. Seu Palmeiras jamais convenceu os puristas da turma do Amendoim, mas sempre foi um time de entrega e luta. Esse espírito combinado à perícia mortal de Marcos Assunção bastou para várias vitórias. Cedo ou tarde fracassaria.

O Palmeiras de 2010 é uma triste lembrança, mas Felipão não vai deixá-lo ser esquecido. Muitos rivais fazem as tradicionais gozações e se esquecem do que pode vir por aí. Com Lincoln, Kléber, Valdívia e Assunção com mais reforços, tudo deve mudar. No próximo ano, o time do Parque Antártica será melhor. E os adversários?

Finalmente um ídolo!

Publicado  quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Mesmo nos anos em que o Botafogo encantava o Brasil com times ofensivos e bem articulados, a torcida cantava o nome de Cuca e de jogadores que não faziam jus à sua história. O amigo Marcelo Tavela chegou a falar que o time de 2007 era melhor do que o campeão brasileiro de 95, naquela época. Ainda assim, não havia ídolos. Lembro bem de discussões bizarras com outros botafoguenses que pediam até mesmo a convocação do mediano Lucio Flávio para a seleção. Garrincha teria espamos.

Esse ano algo mudou. El Loco chegou. O centroavante do Uruguai não é brilhante e nem iria à uma Copa do Mundo pelo Brasil, mas tem personalidade para cobrar pênaltis, gritar com os companheiros e mostrar cojones à torcida como forma de exibir os brios.

2010 não será um ano tão bom para a torcida botafoguense quanto poderia. Mas o que fica desse ano é a chegada de um ídolo. Tulio Maravilha tem seu herdeiro e ele promete deixar muitas alegrias como legado. Resta saber se nos próximos anos, Loco Abreu será tão solitário quanto o símbolo do clube.

O que o Vasco quer de 2011?

Publicado  quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ao final de um rebaixamento cuidadosamente engendrado por Eurico Miranda, Roberto Dinamite começou a preparar um 2009 melhor para o Vasco. Contratou o promissor Dorival Junior e o inteligente Rodrigo Caetano e aposentou de vez 2008 ao descartar uma extensão do contrato de Edmundo.

Aos poucos, Dinamite vem minando aqueles acertos. Deixou Dorival sair para que o técnico fosse o maior vencedor do primeiro semestre e agora pode perder seu gerente de futebol. Caetano é disputado por Grêmio e Fluminense e sempre emplaca trabalhos com resultados duradouros. Infelizmente, não pode resolver tudo sozinho. Mesmo PC Gusmão, o melhor técnico do clube este ano, não parece próximo de permanecer.

Dinamite parece cair no engodo do dirigente centralizador. Apaixonado por sua própria figura como cartola, talvez acredite que seja capaz de manter os avanços da Cruz de Malta sozinho. Nem mesmo o maior artilheiro de campeonatos brasileiros é maior do que a instituição. Ou do que seu futuro.

Update: Vejam vocês, Dinamite parece ter acordado. Embora não haja nada assinado, parece que Rodrigo Caetano deve permanecer assim como PC Gusmão. Não se conquista nada sozinho. Parabéns para o presidente do Vasco por isso. Com a permanência de ambos, aposto em um time cruzmaltino bem forte para o próximo ano.

Manifesto em repúdio a Ricardo Teixeira

Publicado  terça-feira, 23 de novembro de 2010

A Associação Nacional dos Torcedores, sociedade legalmente constituída para combater as atrocidades e desmandos existentes no esporte nacional bem como lutar pelos reais direitos de todos os torcedores-cidadãos brasileiros, vem à público, por meio desta carta manifestar sua indignação e exigir providências quanto às últimas notícias envolvendo Ricardo Teixeira, CBF e Comitê Organizador Local para Copa 2014.

Nos últimos dias, foi veiculada em diversos canais de imprensa a notícia de que Ricardo Teixeira, atuando como pessoa física, é sócio da Confederação Brasileira de Futebol – CBF, (entidade a qual é presidente – ou dono) para formação do Comitê Organizador Local para a Copa de 2014, o COL.
O contrato social registrado na Junta Comercial do Rio de Janeiro prevê, divisão das cotas de participação na sociedade em 99,99% à CBF e 0,01% à Ricardo Teixeira.

Prevê ainda, em seu parágrafo 1º, apesar das divisões, que, o sócio Ricardo Teixeira poderá decidir e endereçar eventuais lucros provenientes da Copa 2014 da maneira que bem entender. Há fortes indícios de irregularidades nesta sociedade.

O futebol é patrimônio da sociedade, a Copa do Mundo vai custar 17 bilhões de reais, mais do que um ano de Bolsa Família, a serem gastos sobretudo em estádios (leia-se empreiteiras em festa).

Por essa razão, há interesse público sobre tais fatos, sobre os quais exigimos explicações.

Exigimos a dissolução imediata de tal sociedade e que o COL seja formado por pessoas isentas, de confiança de toda a sociedade ou que o tipo social seja alterado para sociedade sem fins lucrativos.

É de interesse de todo cidadão saber o destino dos eventuais lucros obtidos pela Copa de 2014 bem como qual a formação diretiva do COL.

Exigimos como cidadãos que somos que as autoridades apurem esses fatos de maneira implacável.

Exigimos respeito, tratamento digno e honestidade.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS TORCEDORES


Jóbson e outros se perdem cedo demais

Publicado  segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Mostrar a bunda para um torcedor adversário, doping por drogas, se atrasar em treinos e ser criticado publicamente pelos companheiros. Jóbson não tem nenhuma convocação para a seleção e nenhum título expressivo no currículo, mas já se comporta como uma grande estrela do futebol mundial. Nem mesmo Ronaldinho Gaúcho conta com tantas "escapadas".

Ele não é o único. O mais comum no futebol brasileiro são projetos de craques que se acomodam muito antes da hora e se perdem no futebol. Jóbson é um bom finalizador, um grande driblador e dono de arrancadas expressivas. Teria uma carreira promissora se já não estivesse caindo nas armadilhas que o futebol oferece.

Jóbson já tomou as decisões corretas antes. Resta saber se o desgaste que ele mesmo criou no Botafogo ainda vai lhe dar essa chance. Ele perde muito, mas o futebol também.

Por que o Botafogo 2010 não é o Flamengo 2009?

Publicado  domingo, 21 de novembro de 2010

Houve algum momento neste campeonato em que o alvinegro tinha espaço e uma tabela favorável para uma arrancada tão avassaladora quanto a de seu rival em 2009. Porém, o Botafogo perdeu o rumo, as chances de título e tornou uma disputa pela Libertadores, algo inédito há anos, quase impossível. Os motivos têm explicação na falta de ambição das últimas gestões do clube.

Em boa parte do campeonato, Joel Santana contou com uma defesa sólida, a velocidade de Maicossuel e Jóbson e a presença de área de Loco Abreu. As opções comuns no banco como Edno e Fahel encaixavam bem no time, mas demonstraram a fraqueza do elenco botafoguense a partir da contusão do Mago alvinegro e de Marcelo Mattos.

Há anos o Botafogo tem montado elencos medíocres e apostando em trabalhos pouco ambiciosos. Essa temporada a diretoria trabalhou e montou um elenco bem acima dos últimos anos. É torcer para manterem esse foco, dispensarem jogadores como Lúcio Flávio que representam uma era de vices estaduais e fracassos e que tragam novas referências.

O alvinegro deste ano ainda não é o que o torcedor quer, mas agora os botafoguenses sabem que o tamanho dos seus sonhos é da medida do brilho da estrela solitária. Desde que a diretoria continue ambiciosa. É mais do que se espera do Flamengo de Patrícia Amorim.

Rivaldo está de volta!

Publicado  sábado, 20 de novembro de 2010

Verdade seja dita, Rivaldo pode ter seus pecados como jogador, mas é o avesso do que vemos em jogadores hoje. Não é um metrosexual que posa com celebridades em boates como Cristiano Ronaldo e nem tampouco um astro viciado em orgias e autodestruição como Adriano. Nunca foi de se atrasar a treinos ou brigar com os companheiros.

Ele é uma espécie de antijogador para o torcedor Fifa Manager. Nunca foi de buscar o melhor lance de efeito ou de jogar para si. No início de carreira era um jogador moderno: apoiava e marcava. A partir do Palmeiras de 96 passou a jogar como um quarto homem que mais apoiava do que qualquer outra coisa. O time jogava para ele e Vanderlei Luxemburgo sabia que isso bastava.

Depois foi para a Europa e apesar de um ou outro problema nunca precisou de entrevistas polêmicas para chamar atenção. Titular absoluto em 2002, foi esquecido em 2006. Pena. Talvez precisássemos de um bem-comportado Rivaldo ao invés de tantos boêmios. Pessoalmente, nunca fui fã de Rivaldo, mas gostei de seu retorno ao Brasil. Quem sabe não teremos um exemplo melhor para nossos jogadores?

Eles têm Messi. E nós?

Publicado  quinta-feira, 18 de novembro de 2010


Talvez vencêssemos a Copa de 58 sem Pelé, mas seria muito mais difícil repetir esse desempenho em 70 e, certamente, não conseguiríamos o Mundial de 62 sem o poderoso Garrincha. Em 94 tínhamos Romário. E Romário é rei, ou melhor, era.

Todas as seleções tinham "o cara". Desde 2002 nós não temos. Zico assumiu a responsabilidade de uma geração e carregou todos os seus pecados, Romário não teve a seqüência que merecia graças ao seu passado e Ronaldo se cansou dos sacrifícios para jogar em alto nível. Adriano poderia ser o herdeiro da camisa 10, mas parece indeciso entre a profissão de celebridade e a de pseudoatleta. A seleção não pode esperar muito dele.

Ganso ainda é uma incógnita e mesmo apostas que tenho para 2014 não são nem perto de uma realidade. Oscar, Neymar e outros ainda têm muito o que provar. Ronaldo Gaúcho e Kaká não serão essa referência. A Argentina tem Messi e o Brasil não tem um craque. Somos órfãos de Pelé, Garrincha, Zico, Romário e Ronaldo. Mano Menezes pode fazer muita coisa, mas não têm o poder de tornar bons jogadores em craques. E isso fará falta.

Imagem: Globoesporte

A Copa do Mundo é nossa?

Publicado  quarta-feira, 17 de novembro de 2010



Perturbadora a reportagem do Lance! (a charge acima foi retirada de lá) sobre a possibilidade de Ricardo Teixeira, presidente da CBF, obter 100% dos lucros do Comitê Organizador Local. Pelo contrato social, a Copa do Mundo tem um novo dono. Afinal, Teixeira poderá mandar em qualquer assunto do comitê ao acumular os cargos de sócio, dirigente e responsável por representar a CBF. Confira os trechos que falam sobre como ele pode influenciar na divisão de lucros ao seu favor.

O procurador regional da Junta Comercial do Rio de Janeiro Gustavo Borba registrou um parecer indicando as irregularidades. Vale lembrar que a CBF é uma entidade sem fins lucrativos, vejam vocês.

Vamos torcer para que a vontade de receber a Copa do Mundo não iniba as autoridades de impedir a corrupção. É assustador percerber que podemos perder uma grande oportunidade com os Jogos Olímpicos e Copa pela falta de fiscalização. Aliás, tá aí uma boa bandeira para o PSDB defender, não?

Nossas avós fariam esse gol!

Publicado  terça-feira, 16 de novembro de 2010



O camisa 7 do Qatar, Khalfan Fahad, pode até ser jogador de futebol profissional, mas quem perdia gol assim nas peladas do meu prédio pedia para sair. Experiência própria.

Fonte: Brasil Mundial FC

A quem interessa que o Flamengo tenha estádio?

Publicado  quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Patrícia Amorim é vereadora do Rio de Janeiro, eleita pelo PSDB-RJ. É o mesmo partido de Zito, prefeito de Duque de Caxias, que ofereceu um terreno ao Flamengo para um estádio de futebol em sua cidade. Melhor seria que a nova costrução fosse na Cidade Maravilhosa, mas o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, teria dito que o Rio está sobrecarregado de estádios. Paes é do PMDB, partido que faz parte da coligação presidencial, de oposição ao PSDB.

O mundo do futebol e da política vive de coincidências. Das perturbadoras até as descaradas.

Pergunte a qualquer candidato a governador ou presidente da última eleição se ele foi financiado por alguma empreiteira. Vai ser difícil achar algum herói que dê uma resposta diferente. Construtoras contribuem com todas as vertentes e coligações possíveis e, certamente, não é por ecletismo ideológico. Contam com esse apoio para conseguirem novos contratos e sustentarem seu negócio.

Não tenham dúvidas de que há mesmo investidores interessados em bancar esse estádio. Nenhum deles por amor ao Flamengo, mas por ambição mesmo. E quando acabarem, isso aí será da instituição. Seu estádio, sua casa e seu karma. Seja lá como for.

O Flamengo precisa de um estádio seu. O Maracanã é sustentado pelo clube e usado por grupos políticos como máquina eleitoral há décadas - em 16 anos já elegeu um deputado e um prefeito - e o clube colabora com isso enquanto não mostrar firmeza em adquirir sua casa. Mas para ter uma, o Flamengo tem que pensar em mais do que simplesmente arquibancadas.

Ou alguém imagina o "Caxiazão" recebendo shows internacionais e amistosos da seleção?

Desse jeito, é melhor esperar o Maracanã mesmo. Por coincidência ou não, aposto que ele reabre antes desse estádio ganhar nome. Vai saber.

O goleiro de 103kg

Publicado  terça-feira, 9 de novembro de 2010



"Sr. Pizza" parece o nome de algum típico personagem do universo de Ziraldo ou o apelido de algum amigo de infância. Na verdade, no mesmo planeta de "São Marcos" ou "Rogério Air Ceni" esta é a forma que o terceiro goleiro do Ajax é chamado pela torcida.

Jeroen Verhoeven tem 30 anos, mede 1,97 e pesa 103 kg, incomum para um goleiro. Pelo vídeo acima você pode imaginar se faz ou não diferença para seu desempenho em campo. "Se eu só comesse batata frita e bebesse cerveja não estaria aqui, não teria chegado onde cheguei. Eu treino sete vezes por semana com o time e ainda faço vários treinos individuais", revelou.

Confira o carinho da torcida com seu reserva:



Oooh PIZZA!

Flamenguista: cobre de Patrícia Amorim!

Publicado  domingo, 7 de novembro de 2010

Patrícia Tamborim, Omissa Amorim, Patrícia Amadorim... Pouco importa o nome. A vereadora pelo PSDB-RJ sempre se elegeu usando o nome do Flamengo para convencer o eleitorado de que era uma boa gestora. Entre os sócios do clube, já engana menos pessoas.

Tome nota dos contatos da vereadora Patrícia Amorim:

Email: patricia.amorim@camara.rj.gov.br
Telefone: (21) 3814-2121 Ramal: 2132 a 2135
Fax: (21) 3814-2132

Na noite deste domingo, o Flamengo entrou de vez na disputa contra o rebaixamento, a quatro rodadas do fim do campeonato. Patrícia Amorim entrou em campo aos sorrisos para dar uma placa ao volante Willians. A presidente recebeu de Márcio Braga um time campeão brasileiro, um clube pacificado politicamente e com patrocinadores babando pelos espaços na camisa.

O que ela fez com tudo isso? Destruiu sistematicamente um time campeão, dividiu a instituição e rompeu com a torcida que não vai mais aos jogos e desvalorizou os espaços na camisa. O torcedor não pode se omitir. Se Patrícia usou o Flamengo para ter uma vida pública, seu eleitorado deve cobrá-la também com votos e no gabinete da câmara. Faça sua parte, flamenguista.

Enquanto isso... No elevador da Gávea!

Publicado  quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Estava na Gávea outro dia com meu filho, de 1 ano. Peguei o elevador da sede social junto com a Patrícia Amorim. Ela ficou fazendo gracinha pro moleque e, antes do elevador parar, perguntou o nome dele.

Respondi, secamente, "Arthur". Ela engoliu em seco e o elevador ficou num silêncio sepulcral.


Além disso, é só chegar no parquinho da Gávea e gritar "Arthur", que uns 5, das mais variadas idades, vão correr na sua direção.

Seria interessante saber se existe alguma Patrícia batizada em homenagem a essa vereadora.

Isso deve querer dizer alguma coisa...

******

Comentário de um sócio-proprietário no Flamengonet.

Espalhe o Compartilhe!

Publicado  quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O Compartilhe é uma ação da Rede Mastercard com a ONG Visão Mundial com o objetivo de ajudar crianças de comunidades carentes de diversas formas, incluindo o esporte no projeto Esporte e Cidadania. Para ajudar é simples e não custa mais do que o seu vocabulário.

Entre no site do Projeto e, em seguida, doe uma palavra que simbolize uma emoção sua em relação ao projeto. Pronto. Você já fez a sua parte. :)

Quanto mais interações, mais rápido o projeto vai ser escolhido pela Mastercard. Participe e compartilhe.

Felipão confunde obrigações!

Publicado  terça-feira, 2 de novembro de 2010

O termo "liturgia do cargo" apareceu na imprensa pela primeira vez por meio do ex-presidente José Sarney. Então vice de Tancredo Neves em 1985, o senador pediu licença para "a liturgia do cargo" para reproduzir o sinal positivo do presidente do Brasil sobre seu estado de saúde (Tancredo morreria semanas depois). A expressão designa obrigações quase cerimoniosas que um cargo confere ao seu representante.

A crise entre Luiz Felipe Scolari e a imprensa passa pela falta de conhecimento sobre o que o cargo de técnico do Palmeiras impõe. Como cidadão, Felipão não tem mesmo a obrigação de dar entrevistas ou satisfação sobre seu trabalho a ninguém que não seja seu patrão. Como técnico de um dos times mais populares do Brasil tem, ao contrário do que disse. E nos dois casos, não pode desrespeitar outros profissionais.

O futebol é um meio repleto de grosserias. É provável que o técnico do Palmeiras já tenha ouvido coisa pior em seu ambiente de trabalho. Porém, um erro não justifica o outro e não vai ser aos berros que Felipão conseguirá mais paciência de jornalistas. Respeito todo mundo gosta, até quem escolheu trabalhar onde se xinga a mãe.