Grandeza não se proclama, se impõe

Publicado  quinta-feira, 30 de dezembro de 2010


Lá no início do ano, a presidente do Flamengo Patrícia Amorim criticou o então vice de futebol Marco Braz ao dizer que ele deveria "falar menos e agir mais". Chegamos ao final do ano e aquele conselho ainda serve para a própria dirigente.


O Flamengo possui mais de 30 milhões de torcedores, um orçamento astronômico e tinha, até pouco tempo, o maior orçamento do Brasil entre clubes de futebol (afinal, Ronaldo "come" boa parte do patrocínio corinthiano). E com tudo isso, esse ano seus dirigentes bradaram muito e mostraram muito pouco resultado.

Falou-se em supertime e até a penúltima rodada a briga era para não cair. A presidente ligou para um jornalista para garantir que Felipão estava vindo e ele veio, para o Palmeiras. E lá pelo início do ano ela disse que a briga pela oficialização de 87 "estava só começando" e ao ver a CBF sem reconhecer meses depois de nada fazer, o que fez? Enviou uma nota oficial assinada por todos os seus vices. Certamente, Ricardo Teixeira nem deve estar dormindo de tanta preocupação.

Na vida você não berra dizendo que é isso ou aquilo. Você deixa claro com atitudes. Na vida você não berra dizendo que é isso ou aquilo. Você deixa claro com atitudes. Cito Fernando Pessoa:

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

Seria bom se ao invés de enviar notas sobre um problema com a CBF, os dirigentes agissem com algo mais além de receber salário por cargo no clube dos 13. Melhor ainda se ao invés de dizer que o empresário A ou B não é bem vindo, simplesmente parassem de fazer negócios com ele.

Na vida você não berra dizendo que é isso ou aquilo. Você deixa isso claro com atitudes. Seria bom se ao invés de enviar notas sobre um problema com a CBF, os dirigentes agissem com algo mais além de receber salário por cargo no clube dos 13. Melhor ainda se ao invés de dizer que o empresário A ou B não é bem vindo, simplesmente parassem de fazer negócios com ele.

Do jeito que está, só falta mesmo dar uma coletiva aos prantos renunciando à presidência para a piada ficar completa. Menos choro e mais compostura, Patrícia. O Flamengo deve ser grande em cada atitude e em cada dirigente.

******

Originalmente publicado no Flamengonet.

1 comentários: