Réquiem para Neymar

Publicado  quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Há um exagero enorme de todos os lados.

Exageraram na hora de exaltar Neymar.

Exageram agora na hora de criticar. Exageram muito.

Já li até compararem com Bruno. Comparem com Romário, Djalminha, sei lá... Mas com um cara acusado de assassinato?

E agora o papo é que ele demitiu o técnico, mas quem demitiu foi o Santos. Ele cometeu um erro que DUVIDO que todos que criticam não tenham algo semelhante aos 18 anos. Agora, imaginem vocês com 18 anos, convocados para seleção e ganhando R$500 mil por mês? Sei de gente que não teria a sensatez que Neymar tem.

Brasileiro tem um problema sério com o sucesso. Sujeito compra carro caro é visto como arrogante, não respeita o povo pobre etc. Admiro todas as pessoas da minha área que ganham mais do que eu e sempre me inspiro nelas pra melhorar. O Neymar devia ser visto como exemplo positivo e não negativo.

No fim das contas, é um garoto que cometeu um erro. Tem 18 anos, mas ainda é um garoto como muita gente com 18 anos era. E o grande prejudicado com essa demissão não foi o Dorival e nem o Santos. Foi ele. Vai ser ruim para Neymar aturar o que virá.

Santos quer demitir Neymar?

Publicado  

A demissão do técnico Dorival Junior afeta por último o ex-técnico do Santos, que venceu todos os títulos que disputou esse ano, e mais o próprio clube. Símbolo do futebol brasileiro no primeiro semestre, o alvinegro praiano passa a ser o grande exemplo de amadorismo do final de ano. Mandou embora um técnico por uma ou duas rodadas a menos do jogador. Ainda assim, a instituição não sofrerá a pior parte das consequências.

O maior prejudicado pela demissão é Neymar. Ao demitir um técnico tão competente, o Santos colocou seu moleque-craque na esteira de receber as maiores críticas e ser pressionado por fazer técnicos caírem. Será que o "novo Robinho" dará preleção até a chegada do novo "professor"?

Agora, o rei da bola é Neymar. Até o fim do ano será cobrado por um erro, que seria até aceitável pela sua idade, mas que ganhou consequências terríveis graças à decisão da cúpula santista. Se ele era mais importante do que Dorival, então o melhor era manter o técnico e aceitar sua punição. É triste ver como lutam para corromper um futebolista tão promissor. Vão acabar conseguindo. O Santos parece querer demitir Neymar do cargo de bom moleque para readmití-lo como uma estrela mascarada. Vão acabar conseguindo.

*****

É até inacreditável ver alguns jornalistas dizendo que faltou jogo de cintura ao Dorival. Faltou o mesmo a Vanderlei Luxemburgo em 95 ao ser demitido por brigar com Romário? Ah, se fosse um clube carioca que fizesse o mesmo...

O moleque Neymar

Publicado  sexta-feira, 17 de setembro de 2010

A idéia mais romântica do futebol vem de um termo que se confunde com o enaltecimento do velho malandro: a molecagem. O craque era menos o jogador sisudo que não gostava de perder e mais aquele menino que driblava como se não houvesse amanhã. Sempre houve uma certa beleza na declaração da estrela Denner: "as vezes acho o drible mais bonito do que o gol".

Neymar sempre foi o autêntico futebol-moleque. Seus defensores chegaram a sonhar com uma mudança no esporte que o protegesse ao invés de pedir que o jogador mudasse. Não conseguiram. Neymar mudou.

O moleque - no sentido mais romântico da palavra - mascarou, brigou, deu piti, levou a bola pra casa e outros termos que o mundo da bola já conhece. As respostas vieram rápido: ele foi criticado pela opinião pública, colegas de profissão e companheiros de time. Merece punição bem além do choro da sua mãe. Deve ser cobrado no bolso e na atitude.

Vivemos outros tempos que insistem em tentar matar o futebol-arte. Ninguém conseguirá. Porém, podem conseguir acabar com o futebol de Neymar. O moleque tem apenas 18 anos. Não sei você, mas com 18 eu não era um adulto ainda, estava mais para... Um garoto. E aprendi muito desde então.

Por mais que a falta de humildade e a soberba irritem, não podemos esquecer: Neymar ainda é um garoto. Deve ser punido e orientado como tal. Ou podemos perder um grande homem. E um grande moleque.

Andrade: Vítimas não vencem!

Publicado  terça-feira, 14 de setembro de 2010

Andrade fez sua opção. Ao invés de buscar uma carreira de técnico, preferiu consolidar sua imagem de vítima. É certo que o Brasil, país de maioria negra, é preconceituoso e que Andrade teve menos chances do que merecia não apenas pela sua cor, mas por sua ligação com o Flamengo e talvez até por sua dicção. Mas é certo também que a injustiça começa desde que, na primeira lufada de ar que respiramos, choramos de dor.

O mundo é repleto de injustiças e o planeta futebol ainda possui suas dolorosas coincidências. O mesmo técnico campeão brasileiro exalta seus resultados, mas esquece que foi capaz de montar um meio de campo com Maldonado, Toró, Willians e Michael deixando jogadores melhores em campo. Andrade acerta ao afirmar que não era sua responsabilidade disciplinar o grupo, mas erra ao se eximir totalmente da culpa. Pior. Tumultua ainda mais o ambiente de seu último clube.

Em 2010, com medo de perder o grupo, o técnico fez opções taticamente pouco convincentes, mas que mantinham os medalhões do elenco em campo. Andrade não foi o único culpado pelos insucessos deste ano, não deveria ter sido demitido, mas é responsável por boa parte das razões que o levaram a cair. Esconde isso ao bancar o pobre coitado por estar desempregado.

Semanas atrás, ele recusou uma proposta do Atlético-GO antes de começar a negociar com o Ipatinga. Não foi o preconceito que o levou a aceitar treinar o lanterna da série B depois de recusar trabalhar no lanterna da série A, escolha de inteligência duvidosa. Andrade ignora o fato de ter livre-arbítrio, que o trouxe a essa situação. Seja pela demissão ou pelos acertos que teve em 2009. Técnicos precisam ter títulos para serem valorizados, mas para isso é preciso vencer. Vítimas são apenas perdedores.

É isso que você deseja ser, Andrade? Uma vítima?

Petkovic não existe!

Publicado  domingo, 12 de setembro de 2010

É sempre a mesma ilusão. "Ele é o único que joga bola", "ele cobra faltas e escanteios muito bem", "ele é o Pet" e efetivamente não há nada. Não há gols e os passes decisivos rareiam. Só palavras vazias na arquibancada que simplesmente não têm eco no gramado. Existem dois Pets hoje: o que joga e o que alguns vêem.

De temperamento difícil, o sérvio nunca foi uma unanimidade e o histórico gol em 2001 lhe fez ocupar um papel de referência que, na verdade, dividiu com outro ídolo controverso: Edílson. Não é coincidência que naqueles tempos os dois tiveram uma saída difícil, mas a história se encarregou de dar uma segunda chance também para Dejan Petkovic.

Em 2009, o camisa 10 foi recebido em uma cerimônia sem o técnico do time ou mesmo qualquer funcionário do Departamento de Futebol. Pet calou várias bocas e se reergueu para o futebol com um estilo que o futebol brasileiro ainda tem dificuldades para encontrar. Não seria injustiça se fosse eleito o melhor jogador do campeonato. Além da técnica, chamou a atenção a postura de humildade aceitando substituições e correndo pelo time, atitude distante do craque egocêntrico de anos atrás.

Este ano, Pet voltou aos tempos em que era um reserva invisível em outros clubes. Suas atuações são pífias, inexpressivas e dependem totalmente da marcação do adversário para terem algum brilho. Ainda assim, há os torcedores que se enganam. Talvez por verem em Petkovic uma versão de Zico em 1987: um jogador com problemas físicos, mas cerebral que poderia decidir partidas em um lance. Porém, o sérvio não é sombra do que era aquele Zico. E ainda volta a apresentar o mesmo ego de sempre.

É hora de todos perceberem que o lampejo de 2009 foi exceção de sua carreira recente. A regra é um Pet limitado a períodos curtos ou jogos abertos. Este é o único Dejan que ficou. Conforme-se, nação.

Atleta do Fla quer Cruzeiro no G4!

Publicado  quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Patrícia Amorim se elegeu com um compromisso que considero saudável para o esporte nacional. O Flamengo é um dos poucos clubes de futebol que pode se gabar de uma identidade poliesportiva e esse perfil pode aumentar o alcance do clube muito além do que o país do futebol pode imaginar. A presidente do Flamengo se mostrou ambiciosa ao contratar Cesar Cielo para comandar uma equipe de natação composta por atletas como Henrique Barbosa.

O nadador deixa claro sua profissão em sua biografia no twitter: Nadador do Mengão. Atualmente treinando em Auburn, Estados Unidos. Ou seja, o seu "perfil oficial" identifica claramente quem ele é, onde trabalha e quais as suas responsabilidades. Talvez por estar longe da Gávea, culpa da péssima estrutura do clube, @rickybarbosa comete o disparate de manifestar publicamente seu apoio ao Cruzeiro, seu time do coração.

É direito de Henrique ser torcedor de um dos times mais organizados do Brasil. Porém, se hoje ele ganha patrocínio e apoio do mais querido do Brasil, deveria manifestar apoio apenas ao rubro-negro. Afinal, se o compromisso do atleta é primeiro com seu time de coração, deveria exigir uma equipe de natação celeste ao invés de aceitar defender as cores flamenguistas.

******

Este blog concorre ao Prêmio Blogbooks. Clique aqui para votar e faça um blogueiro feliz.

Flu declara guerra. E está certo!

Publicado  segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O Maracanã já fechou para obras antes para os jogos Pan-Americanos. Naquela época, o País já planejava tentar sediar a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Por que não prepararam o maior do mundo naqueles tempos para as competições? Por que esperaram para um ano depois do anúncio para fecharem para as obras, prejudicando todos os clubes do Rio de Janeiro, (que também têm sua dose de irresponsabilidade)?

O Fluminense luta contra a medida na instância desportiva. É justo. A Copa só vale se beneficiar o esporte brasileiro e não se atrasá-lo. Dificilmente as Laranjeiras vão obter alguma vitória, graças às pressões que a competição vai gerar.

Resta à torcida tricolor entrar com ações na justiça comum para proteger o próprio time. A iniciativa vai pôr a Copa do Mundo em risco? Sem dúvida. Mas vai obrigar os governantes a começarem a planejar ao invés de privilegiarem esquemas de reformas absurdas e milionárias. Sem querer ou não, o Fluminense pode fazer muito bem ao Brasil.

******

Este blog concorre ao Prêmio Blogbooks. Clique aqui para votar e faça um blogueiro feliz.

Silas: tenha coragem!

Publicado  quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Ouvi ontem o técnico do Flamengo dar uma entrevista pós-jogo e não gostei. Silas tem a missão de fazer o time ter, pelo menos, um fim de temporada digno e vem com um histórico que contradiz esse papo de ofensivo e disciplinador, mas parece disposto a ser paciente. O Flamengo não tem esse tempo.

Na entrevista, uma declaração me chamou a atenção. O técnico afirma que quem está fora de forma vai se condicionar jogando e vejo aí o mesmo erro de Rogério Lourenço. Não estamos em uma pré-temporada onde podemos esperar, mas no meio do campeonato Brasileiro. Quem não está em forma, em plena competição tem que sair. Simples assim.

A estréia de Silas demonstrou o que se espera que seja apenas coincidência: uma hesitação em tirar certos nomes e uma enorme lentidão em substituir. Dois defeitos que podem ter custado três pontos ao Flamengo. Aliás, a respeito de nomes vale nomear os bois:

Jean: Há males que vem pra bem e a expulsão do pior zagueiro do elenco pode ter sido um caso. É a chance de Silas em encostá-lo e torná-lo a quinta opção (atrás do zagueiro que ainda deve chegar) de uma vez por todas. Quem defende o zagueiro, reflita sobre o seguinte:

a) Cheque o rendimento do time com ele em campo.

b) Ele foi reserva em todos os últimos clubes que esteve, dispensado do último e odiado pelas torcidas de todos.

Renato Abreu: Hoje, Renato é um Kleberson com alguma moral com a torcida. Não faz absolutamente nada, nem atrás e nem na frente e pela constrangedora forma física nem sei se deveria estar no banco quanto mais no time.

Pet: Ele pode ser o mais lúcido do Flamengo. Infelizmente, o time disputa um campeonato de futebol e não de bafômetro. Até começar o campeonato de showbol, melhor tê-lo bem por 45 minutos pegando o adversário cansado do que jogando desde o início para ouvirmos o locutor dizer que ele é perigoso em bola parada sem marcar um gol por ali há um ano.

Fernando: Esse é até difícil de comentar. O elenco tem trocentos volantes e certamente ele é o pior de todos, brigando com Léo Medeiros pela posição. Não tem explicação pra entrada dele ontem.

Val Baiano & Borja: Olha é até difícil falar da dupla titânica. Tudo que espero é que se dê um jeito de se livrar dos dois em 2011 rapidinho. Gastou-se dinheiro para ter dois jogadores inferiores a um atacante recém-promovido dos juniores. A partir de domingo teremos os três D e Leandro Amaral. Basta para deixar os dois de lado.

Enfim, Silas, está na sua mão. Tenha coragem. Barre quem está fora de forma e prejudicando o time. Ser político ou achar que dá pra esperar o time entrar em forma, só vai servir pra tirar o apoio de uma torcida que descobriu que pode demitir técnicos.

*****

Este blog concorre ao Prêmio Blogbooks. Clique aqui para votar e faça um blogueiro feliz.

Jênio do dia: Ronaldo

Publicado  quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Quero agradecer a essa nação incrível, que me recebeu maravilhosamente bem. Agradeço também ao Andrés, que fez esse sonho acontecer. Eu não poderia imaginar passar por essa vida sem vestir essa camisa. É um sonho realizado. Sou o homem mais feliz do mundo.

Ronaldo, cujo sonho até os primeiros meses de 2009 era vestir a camisa do Flamengo.