O pênalti que Neymar não perdeu!

Publicado  quinta-feira, 29 de julho de 2010



O futebol vive uma era chata onde o resultado apaga todas as discussões. Melhor do que se divertir com o jogo é ganhar, ganhar e ganhar. A era dos resultados ofusca o maior prêmio que o esporte traz: o abstrato. Nunca foi apenas a taça e as medalhas, mas a jornada. Hoje, torcedores se acostumaram a taxar de omissão quem tentou e não conseguiu. Bom é quem vence, mesmo que não seja da forma que o esporte pede.

E no meio de tudo isso está o time mágico do Santos. Garotos que se recusam a segurar o jogo, fazer a maldita falta técnica e outros recursos pouco éticos com a tradição futebolística. Meninos que insistem dizer "não" a todos os "mata a jogada" dos gramados. E é Neymar, muitas vezes superestimado, o que mais sofre com o peso dessa proposta. De dribles curtos e rápidos já é ofendido pelos adversários como se errado fosse quem dribla.

Você não verá nenhum torcedor reclamando do zagueiro que faz uma falta grave para impedir o gol adversário e ouvirá aplausos daquele jogador que admitiu algum recurso malandro como drogar um jogador do outro time. Porém, Neymar ouvirá todas as vaias do mundo. Afinal, ele cometeu um pecado imperdoável: cobrou um pênalti com jeito de moleque, batida de pelada e de forma ousada e alegre. Ouvirá todas as críticas. Afinal, errado é quem tenta fazer diferente da mediocridade atual. Os ditos amantes do futebol de hoje em dia queriam que Neymar cobrasse de bico, comemorasse esbravejando palavrões e batendo com força no peito.

Não faça isso, garoto. Chute com categoria e personalidade. Desse jeito, você não perderá nenhum pênalti mesmo que as bolas, esse objeto que nem sempre vem com senso de oportunidade, não entrem. O futebol agradece.

1 comentários: